ÊEEEEEEEEEEEEE Saudades!

Nossa, quanto tempo… Muitas coisas novas para contar, muitas angústias a compartilhar, muitas alegrias a dividir!

Voltei. Mesmo sem net vou tentar postar diariamente, pelo WORD e o Daniel atualiza para mim.

Daniela está ótima. Nunca esteve tão bem, tão sapeca! A esperteza dela chega a me surpreender a cada dia. Ela finge choro, me beija o tempo todo por vontade própria, me abraça, pede colo e anda grudada em mim o dia todo. Chego a ter medo só de pensar que volto a trabalhar e ela vai sofrer a separação. No ano passado comprei o DVD Xuxa Só Para Baixinhos 4 e ela amou. Tem uma musiquinha em que a Xuxa gesticula TE AMO na linguagem dos sinais e depois beija o menininho. A Daniela começou a fazer o gesto toda vez que digo que amo ela. É muito fofo.

Neste Natal meu pagamento saiu atrasado (Coisas do Gardenal, ou melhor, do Requião), mas acabei investindo em coisas que achei que ela iria curtir e que eu poderia curtir com ela. Ela adorou um quadro-negro que comprei (filha de professora sem quadro-negro, não dá!), o único problema é que ela come o giz depois de desenhar. Mas, como mãe precavida que sou, comprei giz atóxico, antialérgico e com outros mil detalhezinhos. Comprei um Kit Musical com pandeiro, pratos, tambor, maricas e corneta que ela adorou também (filha de músico sem instrumentos não dá). Comprei um livro mas ela não curtiu muito não, tudo bem, tem outros que ela adora.

E aproveitando que estou contando sobre os brinquedos que o Bom Velhinho trouxe para minha princesa, a revista Cláudia Bebê de dezembro/2007 traz uma reportagem sobre brincar com os filhos, com o título “O poder transformador das brincadeiras”. Ann Marie Guillermette, especialista em recreação e lazer, conta que a melhor interação que pode ocorrer entre pais e filhos é a brincadeira. Não brincadeiras impostas com regras, mas as brincadeiras espontâneas, como correr e fazer cócegas, esconder pela casa, fantoches… Brincadeiras que pensamos que todos os pais fazem com seus filhos. Sim, pensamos, porque a realidade é um tanto diferente. No dia 28 de fevereiro de 2007 aconteceu em São Paulo o III Fórum do Desenvolvimento da Criança onde foi realizada uma pesquisa com 1014 pais e filhos (este estudo está no site www.omo.com.br) e mostrou que apenas 53% brincam com seus filhos diariamente… Nossa, fiquei assustada com este dado, pois não passamos um período (manhã, tarde e noite) sem fazer alguma brincadeira com a Daniela. E o mais frio dos resultados: 84% dos pais acham que para estarem preparadas para a vida, as crianças devem estudar mais do que brincar. Talvez eu tenha lido muito e me preparado demais durante a gestação, não sei o que acontece comigo, mas na minha cabeça de mãe e professora é tão clara a eficiência de atividades lúdicas no aprendizado. E não só no aprendizado escolar, mas no aprendizado vital. Como se relacionar com as pessoas pode ser aprendido em um livro? Como resolver questões práticas do dia-a-dia pode ser ensinado teoricamente, sem aplicações. Não sou uma mãe perfeita, mas me considero uma mãe ponderada e realista, e nunca recuso brincadeiras com minha pequena.

O que me deixou mais feliz foi o seguinte trecho da reportagem: “Os fabricantes de brinquedos odeiam quando eu falo isso (risos), mas não faz diferença se você tem ou não dinheiro para comprar brinquedos sofisticados para seu filho. Também não importa qual seja a brincadeira. O importante é a disposição de se despir do poder de adultos e entrar na brincadeira de verdade. Um amigo, Brian Sutton-Smith, psicólogo e grande especialista em desenvolvimento infantil, afirma que brincar está conectado com o coração. Eu concordo. Brincar com a criança é dizer a ela “eu te amo”. Essa é a mensagem escondida no tempo que os pais dedicam às brincadeiras com os filhos.” (Ann Marie Guillermette).

Então, vamos brincar!!!!!!!!!!!!!

Bem, falando um pouco de mim. Estou em uma fase tão difícil… Muito complicada, mas quem está complicando sou eu, acho. Devo estar em uma fase astral muito ruim (Estrela, me ajude!) porque meu corpo está pedindo socorro. Minha menstruação está atrasada há 20 dias (não, infelizmente não é gravidez), na sexta passada tive uma crise de cólica renal e achei que iria morrer de tanta dor, meus dentes doem como se eu estivesse com uma nevralgia. Não estou triste, nem deprimida… Aliás, estou muito feliz por tudo estar dando certo e entrando nos eixos aos poucos. Às vezes sinto um pouco falta de mim, ou necessidade de me doas mais para minha família. De repente sinto como se estivesse em falta com o Dani ou a Dani, mesmo sabendo que não estou. Tenho desejado muito outro bebê, mas o Dani acha que ainda não é a hora e quando vi o resultado do BHCG fiquei muito chateada, na minha cabeça já tinha até planejado o quarto das crianças. Meu corpo e minha cabeça estão pedindo outro filho, sinto que se não for este ano terá passado o momento. Acho que assim que eu voltar a trabalhar tudo vai se ajeitar (assim espero).

Um post longo deste deve ter deixados os leitores cansados. Então fico por aqui.

Desejo a todos meus amigos queridos um 2008 de muita alegria, paz e felicidade… Muito dinheiro no bolso, saúde pra dar e vender!!!!

Beijos

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s