A importância do amor materno

Não é novidade, todos sabem que mãe é mãe. O pai é o cara divertido, que brinca, chama a atenção mas só quando necessário. A mãe não. A mãe brinca, alimenta, conversa, briga, faz dormir, dá beijinhos curativos (ontem tive que beijar o pézinho cheio de terra da Dani). Vô e Vó cuidam, dão doces e bugingangas de comer, presentes completamente fora de hora e acham que a mãe sempre exagera na bronca.
Aqui em casa é assim. Acredito que nossa relação familiar é saudável e completa para o desenvolvimento das minhas filhas. Mas, hoje, me peguei pensando em como a Daniela mudou desde que resolvi me dedicar a trabalhos em casa. Não preciso chamar a atenção dela para nada, nada mesmo! Ela se troca para ir pra escola numa boa, sem stress. escovar os dentes e tomar banho então, é uma tranquilidade! Atividades que antes, já me cansavam antes mesmo de começar porque eram regadas a muito choro e brigas. Eis que hoje me peguei pensando que já faz uma semana, ou mais que a Dani virou essa mocinha dentro de casa. E, sim, atribua essa mudança a mim!
Nossa casa tem estado arrumadinha e limpa todos os dias, as refeições são feitas na cozinha, eu e ela (quando o pai pode se junta à nós), sempre com muita conversa e muita comidinha saudável da mamãe, e em horários fixos, o banho também tem seu horário. Estamos nos acertando com a questão da televisão, que não tem feito a menos falta para a Dani. Nessas horas brincamos, lemos e conversamos. Ou seja, ela está assim por receber muito amor materno!
Não julga as mães que trabalham fora, muito pelo contrário. Fui uma delas e sei o quanto é difícil nos doar ao trabalho, à casa, aos filhos… Mas percebi a diferença na minha filha por trabalhar em casa. Ela está muito segura de si, muito madura e responsável. Não chora mais e argumenta comigo! Uma delícia! Apoio a iniciativa de mães que abrem mão de carreira para se dedicar à maternidade. Sei que não é fácil, às vezes temos vontade de jogar tudo para o alto e correr. Mas passa, e a recompensa vem na forma de carinho!
Por isso, independente da escolha que a mãe fizer, trabalhar ou ficar em casa, não se subestime, faça essa escolha com o coração e sempre pensando no que é melhor para a família. Aqui em casa, o resultado da minha escolha é a redução significante da nossa renda familiar, que vou tentar compensar com trabalhos em casa. Mas o resultado tem compensado!
Beijos

8 responses to “A importância do amor materno

  1. Que lindo, Lu!
    Qdo desfazemos pequenos nós na relação com os filhos o resultado só pode ser gratificante…é como um reencontro. Aproveite seu tempo e parabens pela decisão acertada!
    beijo
    Re

    • Re, sabe que hoje estou uma mar de lágrimas. Mas são lágrimas de alegria por ver que acertei na minha escolha! Vejo pelo comportamento da Dani que ela agradece pelo nosso reencontro (como vc mesma disse). Estou muito feliz mesmo!!!
      Obrigada pela visitinha!!!

      BEijokas

  2. é isso aí!! vamos investir nesse novo negócio e trabalhar pertinho das crias… =)

  3. Sabe que agora q estou só estudando e só no final de semana decidimos tirar a manoela da escola, vamos passar o dia com ela, ainda estou meio assim, mas as escolas aqui em portugal são super tradicionais e não aguento mais ver minha filha ser chamada de feia pq não segura o garfo e a faca do jeito certo ou pq não segura a canetinha e não pinta só dentro da bola… uma verdadeira ofensa a tudo q acredito em educação e pedagogia…
    q saudade da expectativa dela estudar na turmalina…

    • Ai Dani, me cortou o coração!!! Sabe que a outra escolinha da Dani era assim, e tirei ela de lá sob ameaça de denunciar a escola. Acredito que, apesar dos pesares, somos bem favorecidos de escolas (aqui em Curitiba temos a Turmalina, o Cordão Dourado, o Magê Molê…). Não tem opção de deixar com conhecidos? Porque isso que fazem é uma agressão moral pra Manu!!! Ela é tão delicadinha!!!!
      Mas, é assim… Passa e logo logo vocês estarão de volta, não é???
      Beijossssssss

  4. Sou do time das mamães que trabalham em casa, (apesar de ter um trabalinho externo algumas horas semanais) e cada vez mais vejo o quanto aprendi com a maternidade e o quanto ganhamos em qualidade de vida.
    Aprendi a cozinhar e adoro inventar coisas novas, tenho mais cuidado com a alimentação (e produtos) alem de acompanhar de pertinho o crescimento do filhote.
    Mudei de vocação… e estou tentando me reencontrar de novo, quero aprender mais, e quem sabe juntar novos conhecimentos, essa nova paixão pelo mundo materno, e poder fazer alguma coisa um pouco rentável desde casa?

    bjs

    • É exatamente isso Flávia! Ganhar em qualidade de vida! Abrir mão de certas coisas é compensador no mundo materno! E aprendemos mesmo todos os dias, as crianças tem muito a nos ensinar! Só precisamos estar abertos a aprender!!!!
      Beijos e muito obrigada pela visita!!!!!

  5. O amor materno é imprescindível para o bem-estar das crianças, mas… e quando ele não existe? Como viver sem esse amor? Para quem gosta de belas histórias, indico o livro “Nem todas as mães amam os filhos”, de Rose Ferreira. (http://livrosqueemocionam.wix.com/nem-todas-as-maes) – Real e comovente, uma filha em busca do amor materno.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s