Onde cabem tantas culpas?

Pensei… Pensei… Pensei… Dia das Mães… Daniela doentinha, com dor de ouvido e dor de garganta, quase sem voz e eu… CULPADA!

Me culpo pela cascata de acontecimentos pós parto, me culpo por ter afundado a Dani na banheira, me culpo pela varicela e pelo um ano de Gardenal que ela resultou, me culpo pela escolha errada da escola, me culpo agora pela crise sei lá do que que atacou o nariz dela e que virou dor de ouvido… Mas acho que isso faz parte do pacote da maternidade! Tudo nos provoca sentimento de culpa!

Antes de ser mãe, não lembro de tantas culpas assim. Tenho me policiado para manter meu humor bom, minha energia bem positiva, porque já senti que quando não estou bem a Dani reage de formas diferentes a situações normais. E é o que acho que está acontecendo, ela está sentindo algum clima que nós, meros adultos mortais não sentimos. Ou sentimos e tentamos disfarçar.

Gostaria que meu Dia das Mães fosse diferente, mas foi feliz. Depois de sofrer por uma rejeição, fui curtir minha mãezinha que amo tanto, almoçamos em uma chácara em Colombo, conversamos muito e repeti o pudim três vezes! Foi delicioso conversar com minha família e passar esse dia tão especial com as minhas pérolas rosa, minha Alice e minha Daniela, que antes de vir embora me presenteou com uma rosa e um cartão escrito pelo Vô (que ficou tão triste pela minha tristeza, tadinho) “Mamãe, você é a pessoa mais importante das nossas vidas. Amamos você. Daniela e Alice.”… Nem preciso falar que me derreti em lágrimas, porque ontem, cheguei a esquecer desse serzinho germinando aqui dentro, essa pessoinha que percebeu o quanto a irmã precisava da mãezinha ontem e decidiu ficar bem quietinha em sua casinha, como se não estivesse ali. Só deu o ar de sua graça na hora em que deitei para dormir. E… Mais culpa! Minha princesinha nem nasceu e já se encolheu diante de tantos problemas que ela nem entende, mas sente.

Culpas… Companheiras inseparáveis das mães! Acho que é isso que nos faz fortes.

Um Feliz Dia das Mães!

PS.: O post saiu atrasado porque a Dani precisou muito de mim ontem, mesmo!

5 responses to “Onde cabem tantas culpas?

  1. Lu, eu não sei se precisamos nos culpar tanto. Porquê nos culpamos tanto? Eu tenho me culpado cada vez menos, apesar de continuar errando tanto como mãe e humana. Percebi que a culpa surge quando eu assumo que deveria fazer algo que não fiz, deveria ter escolhido outro caminho ao inves daquele que percorri. e porquê eu DEVERIA ter feito assim e não assado. Quem determina isso? Quem determina esse caminho certo, o qual a gente não trilhou????

    Eu acho que a responsabilidade e a consciência vão sendo construídas gradativamente e, detalhe, para sempre!!! Nunca teremos o discernimento ideal para fazer as melhores escolhas, mas com certeza haverá cada dia um discernimento mais evoluído e muito mais nosso para tomar tais decisões. Posso estar cega, mas acredito que a gente se culpa mais qdo estamos mais distantes de nós mesmas e mais próximas de conceitos de determinados grupos que de certa maneira constroi determinados caminhos, entende?!

    Vc já é bem forte, querida. Não precisa da culpa para continuar sendo esta guerreira que leio por aqui. Bjkas

    PS: recebeu meu convite via blog para falar sobre publicidade infantil?

    • Ai Ceila, você tem razão. Estou muito distante de mim. Mesmo! Casamento degringolando, eu aqui com esse barrigão, mil coisas a pensar!
      Chegou a hora de colocar a cabeça no lugar mesmo!
      Beijos e obrigada por abrir meus olhos!!!!
      Ps.: sim, já escrevi e amanhã às 9h meu post vai ser publicado!!!!
      Beijokas

  2. Credo Lú, não precisa achar que é perfeita e sempre será, acho q a culpa não é a questão e sim a dúvida… e nã o é a dúvida que nos faz seguir? se acertasse sempre teria alguma graça? vc precisa fazer dos “erros” possibilidades de exemplo, a Dani e depois a Alice precisa saber que vão errar sempre e que tudo bem com isso, faz parte da evolução.
    Tb não esqueça de gravida tem emoções a flor da pele e pode dar um tamanho q o problema não tem.
    Apreveite mais q vc ama suas filhas e não tem como sentir culpa.
    bjim e feliz dia das mães

    • Dani, tenho pensado nisso tbm. O tamanho que as coisas ficam para mim! Mas, juro que errar com minhas filhas é dolorido. Errar comigo é uma coisa, mas com elas… Sei lá!!!! Coisas a se pensar!!!!
      Beijokassss e feliz dia das mães pra vc tbm!!!!

  3. Eita Lu, imagino como deve estar se sentindo. Mas acredite, isso passa. A gravidez nos deixa mesmo sensível a qualquer coisa. E quando o filho da gente adoece a gente procurado logo um culpado, como a gente cuida deles o primeiro suspeito passa a ser nós mesmos (ate meu marido diz: “ele gripe por que cria esse menino cheio de ‘não pode’; Isso me enfurece, pois a gente sabe que damos o máximo que pudemos). Melhor acreditar que doença é natural, que faz parte do ser humano, de ser mãe, e se sentimos isso, se tentamos de qualquer forma fazer o melhor por eles, é sinal que somos ótimas mães!!!!!

    Abraço grande!

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s